V​OCÊ DOA PERDÃO? - Ev. André Pirajá

 Deus nos perdoa pelo nosso passado, presente e até futuro, mas o perdão de Deus não invalida as consequências naturais de nossas ações, por isso, pare de empurrar o passado com a barriga, se você tem dívidas financeiras ou coisas mal resolvidas com alguém, trate isso, busque isso, perdoe e peça perdão, resolva!

​PROVIDÊNCIA CARRANCUDA? - Ev. André Pirajá

 "…e, por isso, estou sofrendo estas coisas; todavia, não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia”. (2Tm 1.12)


Mais uma vez na prisão… Alguém poderia, naquela época, ter se levantado com grande indignação e em alta voz proclamado: “isso é uma injustiça”. Mas não foi assim que o grande apóstolo Paulo se comportou diante de suas inúmeras prisões e sofrimentos por Cristo. Esse servo de Deus em vários momentos de sua vida, cheio da presença e instrução do Espírito Santo, glorificou a Deus e exaltou ao Senhor com todas as suas forças. Ele estava feliz, mesmo sofrendo, porque tinha a convicção de que Deus estava no controle sempre. Por causa de suas prisões, temos hoje inúmeras cartas que edificam e encorajam o povo do Senhor.

“Por trás de cada providência carrancuda, esconde-se uma face sorridente”, era assim que William Cowper, um grande compositor evangélico inglês, enfrentava as noites mais escuras de sua vida. Em meio às suas crises de depressão, esse homem compôs inúmeras canções de adoração a Deus, que ainda hoje edificam milhões de cristãos em todo o mundo. Como exemplo podemos citar um de nossos hinos do Hinário Novo Cântico – HNC, o de nº 106. Por causa de sua fé em Deus e de sua consciência da soberania do Senhor, temos hoje à disposição da Igreja, mais de sessenta hinos compostos por esse homem.

Destaco ainda um outro homem, John Bunyan, a sua vida tem muito a nos ensinar. Depois de perder a sua mãe e a sua esposa, ficou preso por mais de uma década por pregar o Evangelho. Lá da prisão via sua filha primogênita, cega, passando dificuldades e humilhação. Mas, dentro da prisão, em meio ao que parecia “providências carrancudas”, esse homem escreveu o livro mais lido no mundo depois da Bíblia, O Peregrino, livro esse que tem sido fonte de encorajamento a muitas pessoas para andarem com Deus. Deus usou momentos de dor e frustação para edificar vidas através desse valoroso servo Seu.

A maioria dos cristãos que conheço, quando se referem à providencia divina, o fazem quando algo bom e até mesmo incomum lhes aconteceu. Embora possamos usar a palavra providência para as coisas boas que nos acontecem, e não há nada mal em fazermos isso, contudo devemos ter em mente que a definição de providência é muito mais ampla. Conforme o Catecismo Menor de Westminster, “As obras da providência de Deus são à sua maneira muito santa, sábia e poderosa de preservar e governar todas as suas criaturas, e todas as ações delas” (Sl 104.10-24)

Portanto, podemos afirmar que todas as coisas estão debaixo da providência divina e que Deus não abandonou nem entregou ao acaso ou à sorte a sua criação, pelo contrário, tem cuidado de tudo nos mínimos detalhes conforme lemos no Evangelho segundo Mateus: “Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados” (Mt 10.29-30).

Uma certeza inabalável e um consolo celestial pode encher o nosso coração, pois sabemos que nada acontece no mundo e principalmente aos filhos do Eterno Deus por acaso, mas pela determinação expressa do nosso Pai celestial, que nos protege com cuidado paternal e não permite que nada aconteça conosco ao acaso. Alegre-se com isso! Renda graças ao Senhor porque ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre (Sl 106.1).

Ainda que não compreenda totalmente os mistérios da soberana providência divina, curve-se diante do Senhor em uma oração de louvor e reconhecimento da grandeza e majestade de Deus, assim como fez o nosso irmão Paulo de Tarso: “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Rm 11.33-36).

​Conselho para as MENINAS - Ev. André Pirajá

Evite muita exposição do seu corpo nas redes sociais.

Seja prudente, valorize-se. Não coloque na vitrine o que não está à venda.
Você não é um produto a ser manipulado e consumido, mas uma flor a ser cuidada e protegida. Não se orgulhe por ter vários homens aos seus pés. Normalmente é a mercadoria mais barata que atrai a clientela. 
Acorda filha! 
#ConselhoDePai

Aplicativos


 Locutor no Ar

AutoDJ

Piloto Automático

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Anunciantes